4.5.06

O tempo não pára

O tempo não pára e os amores se tornam eternos em nossos corações.O vento úmido da manhã de hoje deixava um clima de recolhimento. Me encolhi no casaco e continuei num olhar perdido para o jardim. De repente, me dei conta de uma colega de turma que acabara de se sentar ao meu lado:
_ Esse professor não vai dar aula, hoje?
_Não sei, até agora não chegou..._ comentei.
_Nossa, peguei ele para me formar logo... Falta pouco. E você?
Eu despertei do meu devaneio. Estava tão entregue à lembrança deste tumultuado fim de semana, cheio de emoções à flor da pele, que, de repente parar e pensar no futuro, requeria fôlego:
_Ah, me formo ano que vem em jornalismo também. Mas depois quero fazer publicidade.

_É? Eu vou voltar a fazer Direito também! Larguei no segundo ano para casar com um militar.
Aquela palavrinha “militar” me sacolejou o espírito. Virei-me para ela estupefata:
_ Sério? Eu namoro um militar! _ de repente me senti com uma amiga de longa data. Não sei porque, mas ao lado de uma mulher que ama um militar temos a sensação de não precisarmos explicar nada, que ela vai entender metade dos nossos conflitos!

_Que legal! Ele era da marinha. Larguei direito e fui para o Sul com ele e tivemos dois filhos.
_ O brilho nos seus olhos e o sorriso no rosto deixavam claro o quanto para ela não existia arrependimento em ter abandonado a vida acadêmica.
_Puxa! Lá deve ser frio... _ fiz um comentário vago, para deixá-la livre, queria ouvir um pouco da voz da experiência. Rapidamente especulei sua idade, deveria ter uns cinqüenta e pouco. E ali, estudando jornalismo comigo! Isso sim era uma grande história:
_Era muito! Mas te aconselho, nada de deixar ele ir para “base” sozinho! O que eu via de aspirantes traindo as noivas... Nossa..._ fez uma pausa reprovadora._
Mas depois de um tempo eles casavam e traziam as meninas novinhas. Eu era uma mãe para elas. Eles saíam para vários países de navio e nós tínhamos que inventar coisas para fazer. Nós nos uníamos para cuidar dos filhos, para fazer grandes almoços... Dias tão felizes!
_ Deve ter morado em muitos lugares...
_Morei no sul, em São Paulo, no Rio... Mulher de militar tem que ter muita coragem. A gente não é só mulher, é amiga, companheira para todas, todas as horas!_ enfatizou.
_ Eu sei bem o que quer dizer._ ri.
Ficamos naquela deliciosa conversa, rindo de sentimentos parecidos, mesmo com idades tão diferentes. Ela poderia ser minha mãe. Mas a experiência única de amar um militar nos unia.
_ E agora vocês estão morando no Rio?

_ Ele faleceu... _ seu olhar se desviou para o chão._ Morreu com cinqüenta anos..._ suspirou com o pesar de quem estava em um lindo filme que não podia ter parado._ Foram dias incríveis aqueles... Eu me divertia muito. Uma vida linda!

Entendia agora porque aquela simpática senhora de cabelos loiros com fios brancos estava ali se formando em jornalismo e pronta para encarar Direito, depois de tanto tempo. Mesmo com cinqüenta anos e dois filhos criados. Porque, como dizia, Cazuza:
“ O tempo não pára...”

9 Comments:

Anonymous Francine said...

OLá novamente Eliane...
Linda a história, tbm senti o que me falou um nó na garganta! realmente emocionante...

quinta-feira, maio 04, 2006 2:54:00 PM  
Anonymous Suellen said...

Poxa que história de amor linda... pena que foi tão trágica...mas é melhor não pensarmos no pior!
Pelo menos ela pode ser muito feliz o tempo em que esteve com ele , e é assim que devemos pensar, ser feliz a cada manhã, a cada dia e não permitir q as advercidades da vida venha atrapalhar nada!
Bjinhos a todas!!!

quinta-feira, maio 04, 2006 3:36:00 PM  
Anonymous Carol said...

Nossa, que linda história, deu até um nó daqueles na garganta!!Linda experiência de vida!!

quinta-feira, maio 04, 2006 7:52:00 PM  
Anonymous Janine said...

Amiga!!!
Lindo texto....

Te adoro, bjo!!!

sexta-feira, maio 05, 2006 10:41:00 AM  
Anonymous Lívia said...

Devo dizer que vc quase me fez chorar com esta história linda!
Tantas vezes me pego pensando em como serão nossos futuros...
E realmente... nós nos entendemos... as amigas que encontrei devido a escolha do meu namorado, vou levá-las para vida toda! Hj mesmo vamos nos encontrar aqui no Rio! Almoçar e conversar muito!!
Beijoss

sexta-feira, maio 05, 2006 1:01:00 PM  
Anonymous Clarissa said...

Que texto... Me fez parar um pouco pra refletir sobre a decisão que eu tomei... mas estou certa de q td dará certo, sem eu ter q abrir mão da minha vida...
Beijoooos

sexta-feira, maio 05, 2006 5:58:00 PM  
Anonymous Luma said...

A minha será tão linda quanto essa história, mas como a Clarissa dará td certo sem que eu abra mão da minha faculdade!!! =]

sábado, maio 06, 2006 10:06:00 AM  
Anonymous Ana Paula said...

Gente... que relato lindoo!!!! amei!!!!!!

domingo, maio 07, 2006 12:34:00 AM  
Anonymous anastacia said...

oi Li, poxa disse para vc no msn que nao leria essa historia toda por causa do começo, mas me arrependi...me arrepiei com o final... mas legal pq ela conta das lembranças de uma forma mto feliz e isso quer dizer que apesar dos pesares...tudo valeu a pena...e assim sera conosco tambem...e que assim seja..amem hehe
;) vc sabe que eu torço por vc...seu chileno (hahaha) e por todas nós. um bjao enorme

domingo, maio 07, 2006 5:57:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home